Pages Menu
TwitterRssFacebook
Categories Menu

O Mapa Astral

A gente nunca para pra pensar nisso. Mas tudo o que fazemos está interligado com todo o resto do mundo – a velha história do efeito borboleta, do bater de asas que, ao final de uma dada cadeia de eventos, pode causar um tsunami. Na verdade, o correto seria dizer que tudo que existe tem um propósito e uma época certa para acontecer.

Mapa Astral

Ainda não temos conhecimento suficiente para saber por que é assim – o fato é que é assim. Os fenômenos acontecem no Universo no tempo certinho. (Nós, humanos, é que bagunçamos o coreto!)

E cada um de nós também é um fenômeno do Universo. Sim, estamos aqui por alguma razão que não sabemos qual é. Mas podemos ter uma noção dessa razão a partir do estudo das circunstâncias do dia do nosso nascimento (ou mesmo antes dele, da forma que outras metodologias, como a cosmologia, fazem).

E é nesse estudo de circunstâncias que se baseia a astrologia, e é nele que se baseia a ideia de mapa astral. No caso, as circunstâncias escolhidas são o movimento e posições dos planetas ao longo de uma linha imaginária que liga doze constelações, o famoso Zodíaco. Um determinado espírito só encarna num momento específico porque aquelas posições planetárias, daquele jeitinho, indicavam que a energia do dia e da hora eram propícias para a entrada daquele ser no mundo dos vivos. (Não importa se o ser é prematuro ou nasceu atrasado: o surgimento de um novo ser é um evento cosmicamente certinho.)

A análise desses movimentos e posições, por meio do mapa astral, permite visualizar a personalidade, qualidades, defeitos, capacidades, aptidões, gostos, desgostos e até o carma do espírito. Interessante, não? Temos à mão, portanto, uma tremenda ferramenta de autoconhecimento.

Então, conhecer o próprio mapa astral não é curiosidade vaga nem baboseira viajante. É estudar a si mesmo. Um bom astrólogo pode fazer com que você se dê conta de capacidades fantásticas que nem imagina, e que estão dormindo, esperando para serem despertadas. Ao mesmo tempo, pode te dar toques sobre características que mais atrapalham do que ajudam, abrindo a brecha para que você corrija maus hábitos, por exemplo.

E as possibilidades não param por aí. O mapa astral permite avaliações vocacionais, analisar como a pessoa se comporta emocionalmente, dá perspectivas de situações propícias para determinados momentos…

Ou seja: trata-se de algo muito diferente do que somos levados a crer, de que se trata de algo “místico” (no pior sentido que às vezes se dá a essa palavra) e sem ponte com a realidade. Para quem quer uma oportunidade de dar um upgrade na vida, é uma mão na roda. Escolha um bom astrólogo, encha-o de perguntas… E não guarde a interpretação do mapa no armário ou no computador: leia e releia o material todo dia, de forma a aproveitar ao máximo o potencial que trouxe consigo para este mundo.

Leia mais sobre:  sinastria e revolução solar.